10 março, 2011

Os BRICs São a Locomotiva para os Países Subdesenvolvidos

O Brasil, a Rússia, a Índia e a China estão a fazer a principal contribuição para o crescimento da economia dos países pouco desenvolvidos, conclui o Fundo Monetário Internacional (FMI). Segundo os peritos, os BRICs, aos quais recentemente aderiu a África do Sul, vão reforçar a sua influência no tempo mais próximo, concorrendo com os líderes tradicionais – os EUA e a UE.

O FMI confirmou aquilo de que os economiastas têm falado há muito tempo. Os principais países emergentes do mundo – o Brasil, a Rússia, a Índia e a China vão se tornando novos centros da influência política e econômica. Os dados da África do Sul não foram examinadas pois juntou-se aos BRICs há pouco tempo. Segundo as estimativas dos analistas da FMI, os membros da organização contribuem mais para o desenvolvimento dos países pouco desenvolvidos do que os EUA, a Europa e outros países desenvolvidos. O Brasil, Moscou, Deli e Pequim estão ativos a estabelecer contactos com os países africanos, asiáticos e latinoamericanos, assinala o perito e professor da Escola superior de economia Andréi Súzdaltsev.

A influência do capital chinês na Quénia, na Tanzânia e, especialmente, no Sudão é grande. Um grande número dos chineses entram nestes países: especialistas, engenheiros, técnicos e trabalhadores. A América Latina é, sem dúvida, a esfera de influência do Brasil. Está também a reforçar a sua presença na África. Estes países passam ao uso de novas tecnologias muito rapidamente. A influência e a importância da Índia sobre a Ásia do Sul e sobre a Ásia Sudeste são enormes.
Clique aqui e veja a notícia na íntegra.

Postado por: NewsComex - Comércio Exterior e Logística

Nenhum comentário: