13 julho, 2010

Porto depende da ajuda privada para se regularizar


A Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Paranaguá (Aciap) assinou na tarde de ontem um contrato com a empresa Aquaplan Tecnologia e Consultoria Ambiental para executar uma bateria de relatórios ambientais exigidos para a continuidade das operações do Porto de Paranaguá. Os sete estudos necessários para legalizar as operações do porto foram orçados em R$ 1,5 milhão, com um adicional de R$ 350 mil no caso de conformidade ao fim do processo. Apesar de haver divergências no meio empresarial, o contrato será pago integralmente com recursos privados e registrados como doação ao porto, segundo o presidente da Aciap, Yahia Hamud.

Apesar de todos os portos públicos brasileiros terem pendências com órgãos ambientais, a falta de licenciamento no Paraná voltou à tona na última quinta-feira, quando o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) embargou as atividades do Porto de Paranaguá devido ao atraso no cronograma para adequação às leis. O porto acabou sendo reaberto oito horas depois por meio de uma liminar da Justiça Federal, que exigiu um prazo de 30 dias para que a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) apresente um novo cronograma de medidas ambientais em acordo com o Ibama.
Clique aqui e veja a notícia na íntegra.

Postado por: NewsComex - Comércio Exterior e Logística

Nenhum comentário: