09 janeiro, 2009

Milho cai com petróleo

O recuo do petróleo mais uma vez puxou as cotações do milho para baixo. Os contratos do grão para março desvalorizaram-se 2,3% para US$ 4,0675 o bushel na Bolsa de Chicago (CBOT). É o segundo dia consecutivo de baixa da commodity. Desde o dia 6, última terça-feira, as cotações retraíram-se 4,85%. "O milho é muito influenciado pelo petróleo, que recuou forte ontem. Além disso, as exportações americanas do grão estão fracas e as margens da produção de etanol de milho são as menores já vistas", explica Glauco Monte, analista de gerenciamento de risco da FCStone.

Já a soja praticamente ficou estável no pregão de ontem, depois de cair 15 pontos e depois subir 14 durante o dia. Os papéis com vencimento em março encerram o pregão em US$ 9,8950 o bushel, queda de 0,050% em relação aos US$ 9,90 registrados no dia anterior. A variação de baixa no dia foi motivada por previsões de melhora no clima na América do Sul, sobretudo na Argentina e no Sul do Brasil.

Mas o analista explica que a forte demanda da China pela soja americana é que vem dando o tom de sustentação da commoditiy. Ele detalha que, os importadores chineses vêm marcando posição de compra desde que a soja estava em US$ 8. "Para se ter uma idéia deste impacto, a previsão do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos era de que as exportações de soja americanas iriam cair 10% no atual ano safra (que começou em outubro de 2008). Mas até agora, os embarques estão apenas 2% menores", compara Monte. As cotações do trigo também se mantiveram praticamente estáveis em US$ 6,2550 o bushel. (Fonte)

Postado por: NewsComex - Comércio Exterior e Logística

Nenhum comentário: