04 novembro, 2008

País negocia crédito para exportadores

O chanceler Celso Amorim discute, a partir de hoje, na Organização Mundial do Comércio (OMC), em Genebra, estratégias para garantir o acesso de exportadores a créditos e evitar, assim, que a crise financeira interrompa os fluxos de exportação. Dados preliminares da OMC apontam que nem o Natal deve salvar o comércio mundial de uma estagnação. A entidade projeta uma interrupção do crescimento dos fluxos mundiais nos últimos três meses do ano. A estagnação, se confirmada, será a primeira em sete anos. A OMC, inspirada em uma proposta brasileira, convocou o Fundo Monetário Internacional, bancos e até o BNDES para uma reunião no dia 12 com o objetivo de debater formas de destravar o comércio.

O Brasil, segundo analistas, seria um dos países mais atingidos por uma falta de crédito de exportação para o setor de commodities. Não por acaso, Amorim quer discutir com o diretor da OMC, Pascal Lamy, formas de facilitar esse acesso a créditos e flexibilizar condições para que o comércio não seja ainda mais afetado. Na OMC, a estimativa era que o comércio mundial teria um crescimento de 4,5% em 2008. No primeiro semestre, o economista da entidade, Micheal Finger, garante que a taxa ainda foi positiva. Mas o terceiro trimestre já demonstrou uma forte queda “Para o quarto trimestre, não deveremos ter crescimento”, alertou. Há mesmo a possibilidade de que, em volumes, o comércio sofra uma queda real. (Fonte)

Postado por: NewsComex - Comércio Exterior e Logística

Nenhum comentário: