06 novembro, 2008

Divisão dos royalties é ruim, aponta Ipea

Um estudo apresentado pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) mostra que mais de 80% dos recursos dos royalties de petróleo distribuídos aos municípios brasileiros estão sendo canalizados para regiões de alta renda ou melhor dinâmica econômica. O trabalho, encomendado pela direção do Ipea e assinado pelos economistas Bruno de Oliveira Cruz e Márcio Bruno Ribeiro, sugere que o governo promova um plebiscito para redefinir a destinação do dinheiro que será arrecadado com a exploração do pré-sal.

Os autores defendem que o Brasil siga o exemplo bem sucedido de países e estados que criaram fundos permanentes com as receitas públicas do petróleo, como Noruega, Alasca (EUA) e Alberta (Canadá). Nesses locais, o dinheiro arrecadado pelo governo é, na sua maior parte, poupado para o futuro – como uma poupança de pai para filho. Com essa medida, esses países não só conseguiram proporcionar uma distribuição mais justa dos recursos entre as gerações, como evitaram algumas conseqüências econômicas indesejáveis que muitas vezes se verificam em países ricos em recursos naturais.

“A dita ‘maldição dos recursos naturais’ não é inevitável. Existem países que conseguem fugir disso”, diz Cruz. No caso do Brasil, entretanto, os economistas do Ipea detectaram sinais de que estamos no caminho errado, porque 60% dos recursos arrecadados pelo poder público acabam concentrados nas mãos de poucos governadores e prefeitos. No caso dos municípios, por exemplo, 907 dos 5.563 municípios foram beneficiados no ano passado pelos royalties, e 59% dos recursos foram canalizados para apenas 10 prefeituras.

Clique aqui e veja a notícia na íntegra.

Postado por: NewsComex - Comércio Exterior e Logística

Nenhum comentário: