12 novembro, 2008

Com recessão mundial, fundos citam oportunidades locais no Brasil

Em meio à expectativa de recessão mundial, os fundos de investimentos nos Estados Unidos continuam olhando para o Brasil como pólo de atração para alocação em portfólio. Os gestores de fundos ouvidos pela Agência Estado admitem que o investimento será reduzido em escala mundial, mas ponderam que a economia brasileira, mesmo com esperada desaceleração, deve crescer mais que o PIB global e, assim, oferecer oportunidades locais.

"A crise atual não fez com que alterássemos nossa perspectiva sobre o Brasil. Ainda vemos o País como muito atrativo, com boa perspectiva para o futuro e continuaremos investindo no Brasil enquanto o retorno destes investimentos for superior aos retornos disponíveis em outros mercados", afirma Wayne Kozun, vice-presidente sênior para capital aberto do Ontario Teachers Pension Plan (OTPP), fundo que têm cerca de US$ 108 bilhões em ativos.

O diretor-gerente da gestora de ativos BlackRock, William Landers, pondera que "hoje, é difícil falar quem não está atraente", com relação às corporações quando se olha para a Bolsa brasileira. O gestor, que administra mais de US$ 3 bilhões em fundos para a América Latina, cita que sua preferência hoje está mais com as companhias que atuam predominantemente na arena doméstica. Ele cita, por exemplo, a AmBev e acrescenta também que "bancos continuam bem atrativos, mostraram crescimento bom no terceiro trimestre". "Petrobras e Vale continuam com posições importantes no fundo, mas eu diria que são as áreas que teriam um pouco mais de pressão no curtíssimo prazo".

Clique aqui e veja a notícia na íntegra.

Postado por: NewsComex - Comércio Exterior e Logística

Nenhum comentário: