03 novembro, 2008

Ciclo discute os 2.000 anos da abertura dos portos

Com um título provocativo, a Associação Riograndense de Proteção do patrimônio Arqueológico-Arppa, o Laboratório de Ensino e Pesquisa em Antropologia e Arqueologia (Lepan) da Universidade Federal do Rio Grande (Furg) e o Museu Náutico realizam, a partir desta segunda-feira, 3, um Ciclo Internacional de Conferências sobre o patrimônio cultural e arqueológico em zonas portuárias. Denominado “2.000 anos da abertura dos portos”, o evento alude às comemorações do bicentenário de abertura dos portos no Brasil e a expansão portuária na cidade para chamar a atenção da comunidade sobre a necessidade de discutir essas questões sob a ótica da arqueologia.

A coordenadora do Lepan e da Comissão de Curso de Arqueologia da Furg, professora Beatriz Valladão Thiesen, uma das coordenadoras do evento, explica que o argumento norteador do ciclo é o fato da questão do patrimônio e da cultura em áreas portuárias ser muito anterior à abertura dos portos. “O colono, o conquistador português, ocupa uma área anteriormente ocupada por povos indígenas”, lembra a professora, destacando que as questões relativas aos povos indígenas no período anterior à colonização portuguesa são apagadas dos registros históricos. “Ninguém se dá conta de que embaixo da cidade do Rio Grande existe outra cidade, exemplifica.

Como ocorreu nas comemorações dos 500 anos do Descobrimento do Brasil, quando um evento paralelo chamou a atenção para os “Cinco mil anos do Descobrimento do Brasil”, o ciclo pretende ampliar a discussão sobre o patrimônio cultural em zonas portuárias envolvendo pesquisadores, acadêmicos e a comunidade. Pretende também criar uma reflexão sobre a diversidade desse patrimônio e a importância da Arqueologia para o estudo e preservação da memória das várias ocupações humanas em zonas portuárias, integrando conhecimentos produzidos em diversas áreas da pesquisa acadêmica, especialmente em Arqueologia, História, Geografia, Oceanografia e Direito.

Clique aqui e veja a notícia na íntegra.

Postado por: NewsComex - Comércio Exterior e Logística

Nenhum comentário: