15 outubro, 2008

Multado pelo Ibama, Eike doa R$ 11 milhões para Minc

O empresário Eike Batista, dono de uma siderúrgica multada em mais de R$ 29 milhões pelo Ibama e de termelétricas a carvão que são alvo de pelo menos quatro ações civis públicas, foi recebido ontem com reverência e aplausos no Ministério do Meio Ambiente. Ele assinou, com o ministro Carlos Minc, três acordos em que se compromete a doar R$ 11,4 milhões para a manutenção de três unidades de conservação ambiental. Foi chamado pelo ministro de " grande empresário " e um dos diretores do Instituto Chico Mendes, responsável pela fiscalização das áreas florestais, chegou a ensaiar (em vão) uma salva de palmas logo após o pronunciamento de Eike - os aplausos vieram poucos minutos, durante a assinatura das parcerias.

A siderúrgica MMX, em Corumbá (MS), foi multada em R$ 29,4 milhões desde dezembro do ano passado por ter comprado carvão nativo oriundo de desmatamento recente. Em junho deste ano, a usina foi novamente autuada pelo consumo de 30 mil metros cúbicos de carvão vegetal sem comprovação de origem. " Se nós cometemos um erro ambiental em uma de nossas operações, que paguemos a conta " , disse Batista. Mas ele não admite o uso de carvão ilegal e pede calma nas avaliações. " Estamos questionando (as multas). Antes temos que ser julgados " , frisou.

Clique aqui e veja a notícia na íntegra.

Postado por: NewsComex - Comércio Exterior e Logística

Nenhum comentário: