16 outubro, 2008

CNI defende compulsório para financiar exportações

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Armando Monteiro Neto, criticou nesta quarta-feira, 15 de outubro, a redução das linhas de crédito para exportação. Ele sugeriu que os bancos emprestem aos exportadores os recursos que foram liberados dos depósitos compulsórios do Banco Central. "O compulsório não foi reduzido para os bancos ficarem com dinheiro em caixa, mas para que os recursos sejam aplicados e irriguem o mercado. Os bancos estão muito retraídos", disse Monteiro Neto, antes de participar de audiência com o procurador-geral da Fazenda Nacional, Luiz Inácio Adms.

Os financiamentos para as exportações brasileiras caíram cerca de 80%, ou seja, representam hoje cerca de um quinto do valor disponível antes do acirramento da crise internacional, conforme informaram os veículos de comunicação. Monteiro Neto negou, no entanto, que cerca de 200 empresas brasileiras tenham sofrido graves prejuízos por terem especulado com dólar, segundo informação de uma fonte do governo. “Não tenho idéia de quanto é, mas está muito longe de 200 empresas”, garantiu, ao reconhecer algumas empresas estão com “aperto no caixa”.

Clique aqui e veja a notícia na íntegra.

Postado por: NewsComex - Comércio Exterior e Logística

Nenhum comentário: