19 setembro, 2008

Banco Central pode reduzir ritmo do aperto monetário

O aperto monetário será mantido pelo Banco Central (BC) nos próximos meses, mas em menor ritmo por conta do agravamento da crise internacional. Essa é a leitura feita pela economista da Tendência, Marcela Prada, ao examinar a ata do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada ontem, referente à última reunião do órgão, que elevou o juro básico da economia, a Selic, em 0,75 ponto percentual para 13,75% anuais.

Conforme a ata, a crise financeira internacional e a inflação no Brasil determinaram a decisão dos integrantes do comitê de aumentar o juro em tal magnitude. Segundo ela, o agravamento da crise deve impactar negativamente a economia brasileira, fazendo com que o BC reduza o ritmo de aumento da Selic.

Para a economista, a ata sinalizou que o BC tende a reduzir a dosagem no aperto monetário pelo fato de a última elevação do juro não ter sido uma decisão unânime entre os sete integrantes do comitê. A ata mostra que a minoria (três diretores ) presente à reunião defendeu um aumento de apenas 0,50 ponto com o argumento de que há sinais de desaceleração da economia mundial. Isso aconteceu mesmo antes de crise mundial se agravar, esta semana. Tal cenário, na avaliação dos integrantes do Copom poderia melhorar as expectativas inflacionárias globais, em parte pela queda das cotações das commodities.

Clique aqui e veja a notícia na íntegra.

Postado por: NewsComex - Comércio Exterior e Logística

Nenhum comentário: