30 abril, 2008

Greve de auditores da Receita Federal prejudica as importações


A greve dos auditores da Receita Federal provocou queda de 8,09% nas importações baianas em março, interrompendo curva de crescimento que vinha desde o ano passado. Iniciada no dia 18 de março, a greve completa nesta quarta-feira, 30, 43 dias, mas apenas os 12 dias iniciais de paralisação foram suficientes para reduzir em US$ 47,8 milhões as importações do Estado, comparando-se com o mesmo período do ano anterior, segundo resultado divulgado pelo Centro Internacional de Negócios da Bahia (Promo).

Se comparada com fevereiro deste ano, a redução foi de 13,40% ou US$ 84 milhões a menos. Para Arthur Souza Cruz, gerente de estudos e informações do Promo, não há outra explicação para a queda das importações baianas, que cresceram 54,49% no primeiro bimestre, impulsionadas pelo dólar barato e demanda interna aquecida.

Os auditores da Receita na Bahia decidem nesta quarta, às 9 horas, o destino da greve, em assembléia no auditório do Ministério da Fazenda, no Comércio. Segundo César Sapucaia, vice-presidente do Unafisco Sindical na Bahia, o governo recuou muito pouco e apenas alterou de forma superficial o sistema de avaliação. O governo já havia acenado no ano passado o reajuste da remuneração final de R$ 13 mil para R$ 19 mil, mas estendeu o calendário de reajustes até 2010. “A questão hoje não é o valor, mas o sistema de avaliação e a antecipação do calendário”, argumenta o vice-presidente da Unafisco.

RELATÓRIO – Vem de dentro da própria Receita a crítica mais severa aos auditores. A delegada sindical do Sindreceita na Bahia, sindicato que reúne analistas tributários da carreira de auditoria da Receita, Gleciara Ramos, diz que a banalização da greve na aduana prejudica o País. E pede a imediata divulgação do relatório encomendado pelo governo à Price Waterhouse, que aponta a necessidade de mudanças de gestão de pessoas na aduana.

A atual estrutura estaria num nível inadequado à nova realidade da economia mundial. “Os sistemas tecnológicos já vêm sendo implantados, mas na área de gestão de pessoas a Receita Federal atua na direção inversa apontada pela auditoria”, diz Gleciara, que argumenta ser imperativa a necessidade de reestruturação. “Não enfrentar as mudanças exigidas para modernizar a aduana compromete todo o plano de desenvolvimento sustentável do governo”, afirma.

Os analistas tributários argumentam que a greve não interfere na arrecadação, que teve recorde de R$ 51 bilhões em março, mas traz prejuízos à atividade aduaneira, afeta produtores, transportadores e empresários do comércio exterior, prejudica a economia globalizada e diminui drasticamente a competitividade brasileira.

Fonte: A Tarde ONline

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Pintura na pista do Aeroporto da capital causa atraso em vôos

Os passageiros do vôo da TAM que segue de Campo Grande para Brasília, foram obrigados a aguardarem quase uma hora a decolagem do avião. Segundo a Infraero, o atraso se deve por conta da pintura da pista principal do Aeroporto Internacional de Campo Grande.

Ainda de acordo com a Infraero, a pista passaria por manutenção na tarde de hoje e não poderia ser utilizada até que o trabalho fosse concluído, mas mesmo assim foi autorizado o pouso da aeronave por volta das 15h45, sendo que a pista só seria liberada às 17h30.

Fonte: Correio do Estado

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Empresários temem caos no porto

Empresários e autoridades do Porto de Santos alertam que a restrição para o tráfego de caminhões na Capital durante o dia, proposta pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM), poderá provocar ‘‘um caos’’ nos acessos ao complexo portuário, afetando inicialmente 8 mil veículos com destino ao cais.


Seminário destaca programa santista

As ações de prevenção e repressão ao roubo de cargas empreendidas pelas polícias no Porto de Santos são o melhor exemplo a ser seguido pelos estados da Região Sudeste. A manifestação partiu de representantes tanto da iniciativa privada quanto do poder público ontem, durante o II Encontro de Segurança do TRC (Transporte Rodoviário de Cargas) Região Sudeste: Ações de Integração, realizado em Vitória (ES).

Operação combate ação de piratas

A Capitania dos Portos e as polícias Federal e Militar realizaram ontem uma operação conjunta em marinas da região, com o objetivo de combater o ataque de piratas aos navios que escalam no Porto de Santos.

Fonte: A Tribuna-Santos

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Chega ao Supremo briga por mercado de carga portuária

Temendo uma concorrência desigual com empresas que exploram a atividade portuária em regime privado, as concessionárias de portos públicos brasileiros ajuizaram uma argüição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF) no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que a corte reconheça que os terminais privados mistos não podem, segundo as regras previstas na Constituição Federal, prestar serviços a terceiros de forma preponderante.

A ação, impetrada pela Associação Brasileira de Terminais de Contêineres de Uso Público (Abratec), acusa a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) de infringir as regras do setor ao autorizar a operação de terminais privados que tenham sua atividade focada em cargas de terceiros.

A operação dos terminais privados foi prevista pela Lei de Modernização dos Portos - a Lei nº 8.630, de 1993 -, mas sua regulamentação só saiu em 2005, com a edição da Resolução Normativa nº 517 da Antaq. De acordo com a norma, as autorizações só devem ser concedidas a empresas que comprovem que podem manter suas atividades com cargas próprias - sendo que as operações para terceiros são permitidas apenas como atividade acessória.

Fonte: Valor Econômico

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Exportação de carne para a UE ameaçada

O presidente da Comissão de Agricultura e Desenvolvimento Rural do Parlamento Europeu, Neil Parish, afirmou ontem, durante reunião conjunta com deputados e senadores, que posições como a do deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) podem prejudicar um acordo para liberação da venda de carne brasileira para a União Européia (UE). "Se quiserem ter a UE como inimiga, continuem nessa linha", afirmou ele.

Caiado destacou a qualidade da carne brasileira e lembrou que o País nunca registrou um caso da doença da vaca louca. A Europa, segundo Caiado, já registrou vários focos da doença. O deputado brasileiro disse que se a UE não quiser comprar a carne brasileira, o País continuará vendendo para seus outros 180 parceiros comerciais.

Fonte: Diário do Comércio-SP

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Exportações disparam

Os embarques de gado em pé seguem de vento em popa. No primeiro trimestre, o volume de bovinos vivos exportados a outros países, com destaque para Venezuela e Líbano- chegou a 86,6 mil animais, mais 31% na comparação com os negócios de 2007.

A receita em relação a igual período de 2007 explodiu 203%, aumentando para US$ 68,2 milhões, 26% do valor obtido ao longo de todo 2007, com as vendas de gado do país para abate no exterior. Ano passado, houve mais embarques no segundo semestre.

Fonte: O Tempo

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Gol fecha 1º trimestre com prejuízo de R$ 74,1 milhões

A segunda maior companhia aérea do País, a Gol, divulgou nesta quarta-feira resultado trimestral que mostrou prejuízo de R$ 74,1 milhões, contra lucro de R$ 91,58 milhões em igual período de 2007.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação, amortização e aluguel de aeronaves (Ebitdar, na sigla em inglês) foi de R$ 184,8 milhões, recuo de 25,8% sobre o obtido um ano antes, que foi de R$ 248,9 milhões.

A margem Ebitdar da companhia entre janeiro e março ficou em 11,4%, queda de 12,6 pontos percentuais na mesma comparação.

Fonte: Invertia

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Petrobras diz que vai comprar equipamentos para exploração do pré-sal

A Petrobras vai anunciar no segundo semestre um plano de demandas de equipamentos e insumos utilizados na exploração dos novos campos de petróleo da área do pré-sal. O objetivo, segundo o gerente de Exploração e Produção, José Formigli, é dar tempo para a indústria brasileira se preparar para as compras que serão feitas com o início dos trabalhos nos campos.

"Temos um plano de demandas futuras para permitir às indústrias se prepararem para quando começarmos a fazer compras e contratações efetivas", disse Formigli. No entanto, ele não quis precisar quanto a empresa está prevendo em compras, mas adiantou que são cifras bilionárias.

"Se você olhar o que representa apenas um sistema de produção, estamos falando entre 2 e 4 bilhões de dólares. Quando a gente imagina os volumes ali [nos campos de pré-sal], serão necessários investimentos, para todo o projeto, de bilhões de dólares."

Formigli considera importante que a indústria brasileira comece a produzir no país materiais que hoje só podem ser comprados no exterior, bem como a instalação local de unidades de produção de empresas estrangeiras.

Ele deu exemplo de materiais que hoje não são fabricados no Brasil, mas que serão necessários para extrair o petróleo das camadas pré-sal, a mais de 5 mil metros de profundidade.

"Materiais capazes de trabalhar com corrosão de CO2 e H2S, que não são aço carbono comum e normalmente envolvem superligas. Se estivermos falando de uma demanda grande de compressores de gás, hoje no Brasil estuda-se muito sobre a instalação de fabricantes de turbinas ou de compressores. Então, com essa demanda sinalizada, eles poderão se preparar e fazer as análises econômicas para saber se é possível ter instalações desse tipo aqui."

Formigli participou, junto com o diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Guilherme Estrella, de um seminário sobre os desafios tecnológicos da camada pré-sal, promovido pela Coordenação dos Programas de Pós-graduação em Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe-UFRJ).

Estrella contou que a Petrobras decidiu reinjetar o CO2 extraído juntamente com o petróleo da camada pré-sal, que gira em torno de 16%, para dentro do próprio poço, como medida de responsabilidade ambiental da empresa, evitando a dispersão do gás na atmosfera.

Fonte: Folha Online

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Lucro do Santander no Brasil caiu 31% no 1º trimestre

Depois de vários trimestres de crescimento acelerado, o lucro líquido do Santander nas operações brasileiras recuou nos primeiros três meses deste ano. Segundo balanço divulgado ontem, o ganho da instituição, que até o fim do ano deve incorporar os ativos do ABN Amro Real, caiu 31% de janeiro a março, comparado a igual período do ano passado, de R$ 559 milhões para R$ 388 milhões.

Entre as explicações para o resultado menor está a queda das receitas de Títulos e Valores Mobiliários (TVM) e instrumentos financeiros derivativos. No primeiro trimestre de 2007, o resultado das operações de TVM, por exemplo, somou R$ 1,57 bilhão. Neste ano, recuou para R$ 1,33 bilhão. “Os primeiros meses do ano passado foram excepcionais. Mesmo assim, o resultado de agora pode ser considerado muito positivo”, afirmou o presidente da instituição, José Paiva Ferreira.

Ele destacou que o lucro do Brasil contribuiu com 12% do resultado do grupo no mundo, de 2,206 bilhões de euros, divulgado ontem. No último trimestre de 2007, essa participação era de cerca de 11%. O executivo ressaltou ainda que, apesar de o lucro ter caído, o resultado das operações com clientes subiu 24%, para R$ 269 milhões no trimestre. Esse ganho foi atribuído à conquista de 1 milhão de clientes, à venda de novos produtos da instituição e à expansão de 21% da carteira de crédito. O estoque de empréstimos e financiamentos somou R$ 45,96 bilhões em março.

Fonte: G1

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

GM fecha 1º trimestre com prejuízo de US$ 3,25 bilhões

A General Motors (GM) registrou prejuízo de US$ 3,25 bilhões no primeiro trimestre do ano, ante um lucro líquido de US$ 62 milhões no mesmo período do ano passado. A montadora americana informou que sua receita total foi de US$ 42,7 bilhões, abaixo dos US$ 43,4 bilhões do primeiro trimestre de 2007. Excluindo encargos, o prejuízo da GM ficou em US$ 350 milhões no trimestre, contra prejuízo ajustado de operações continuadas de US$ 10 milhões nos primeiros três meses do ano passado.


O resultado líquido do primeiro trimestre reflete itens especiais desfavoráveis num total de US$ 2,9 bilhões. Os encargos incluem US$ 1,45 bilhão da redução parcial de capital não financeiro relativo à participação da GM na GMAC, braço financeiro da montadora. A companhia também registrou encargo não financeiro de US$ 731 milhões relativo a obrigações ligadas ao apoio dado à sua fornecedora Delphi. A participação de 49% na GMAC resultou para a GM num prejuízo trimestral ajustado antes de impostos de US$ 276 milhões.

A montadora informou que o lucro antes de impostos de suas operações automotivas globais aumentou para US$ 392 milhões, contra US$ 231 milhões no primeiro trimestre do ano passado. Na América do Norte, as operações automotivas da GM tiveram prejuízo antes de impostos de US$ 611 milhões, contra um prejuízo ajustado antes de impostos de US$ 269 milhões no período de janeiro a março do ano passado. Segundo a GM, a receita fora da América do Norte aumentou mais de 20%, com forte expansão na China, no Brasil, na Rússia e na Índia.

Fonte: G1

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

29 abril, 2008

Ford investe R$ 600 mi na fábrica de Taubaté (SP)


Enquanto a matriz americana corta custos para se reerguer da mais grave crise de sua história, a filial da Ford no Brasil tem registrado ganhos consecutivos e gerado recursos próprios para investir em aumento de capacidade de produção. A montadora anunciou aportes de R$ 600 milhões na fábrica de Taubaté (interior de SP) para dobrar sua produção e lançar uma nova família de motores que equiparão os próximos veículos da marca.

Na semana passada, a companhia divulgou lucros de US$ 257 milhões na América do Sul, região que tem o Brasil como maior produtor de carros.Nossos resultados foram positivos, melhores do que os do ano anterior e isso é importante para continuarmos a fazer novos investimentos, disse o presidente da Ford do Brasil e Mercosul, Marcos Oliveira.

O executivo ainda faz segredo sobre os novos motores, mas adianta que serão mais econômicos e menos poluentes que os atuais. A nova família de motores, chamada de Sigma, terá versões bicombustível e um deles deve ser na versão de 1.4 litro, faixa em que a empresa ainda não atua hoje, ao contrário de concorrentes como a Fiat e a General Motors. Segundo Oliveira, o novo investimento é complementar aos R$ 2,5 bilhões anunciados para o período 2007/2011. É um investimento adicional, 100% gerado no Brasil, diz ele.

Fonte: Estadão

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Argentina reduz área de trigo e prejudica o Brasil

A tensão que o governo da presidente da Argentina, Cristina Kirchner, mantém com o setor agropecuário está levando os produtores a plantar uma área menor de trigo para a safra 2008/2009, fato que complicaria ainda mais o fornecimento do cereal argentino para o Brasil. A previsão é que a área plantada seja 5% menor em relação ao ano passado, segundo reportagem publicada ontem no principal jornal do país, o Clarín, citando um relatório da Embaixada dos Estados Unidos em Buenos Aires.

A colheita argentina pode cair 770 mil toneladas em relação aos 15,4 milhões da última safra. Mas o cenário pode ser pior se o conflito entre governo e produtores se agravar. O relatório elaborado pelo adido agrícola da embaixada americana, David Mergen, indica que ?alguns analistas estão estimando uma queda de 15% a 20% em relação ao ano anterior?.

O impacto de uma colheita menor será amplo. Por um lado, provocará alta do preço, o que vai irritar o governo Cristina, que tenta impedir a escalada inflacionária. Desde dezembro, as exportações de trigo estão proibidas, para forçar a queda do preço para os consumidores argentinos. O mercado brasileiro foi afetado por essa restrição, já que, do total de 10,25 milhões de toneladas de trigo que consome em média por ano, importa 6,6 milhões de toneladas. Dessas, 5,63 milhões de toneladas, ou 85,5%, foram importadas da Argentina em 2007. Na semana passada, o governo Cristina disse que é impossível estimar quando as vendas de trigo ao Brasil serão regularizadas.

Fonte: A Tarde Online

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Aeroportos do Rio e SP operam normalmente

A Infraero (estatal que administra os aeroportos do país) registra movimento normal na manhã desta terça-feira nos principais aeroportos do Rio e de São Paulo.


Em Congonhas (zona sul de SP), dos 56 programados para acontecer da 0h às 9h, quatro apresentaram atraso superior a 45 minutos e apenas um foi cancelado. Em Cumbica (Guarulhos, região metropolitana de SP), dos 54 vôos programados para o período, dois foram cancelados.

No Rio, o aeroporto do Galeão apresentava atraso superior a 45 minutos em apenas 1 dos 43 vôos programados e seis cancelamentos. No Santos Dumont, a estatal não registrou nenhum atraso e nenhum cancelamento para aquele horário.

Em todo país, segundo último boletim da Infraero, dos 504 vôos programados para acontecer da 0h às 9h, 20 apresentaram atraso superior a 45 minutos e 14 foram cancelados.

Fonte: Folha Online

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Rua da Consolação é parcialmente interditada por obra do Metrô

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) fechou na noite desta segunda-feira um trecho da rua da Consolação, na região central de São Paulo, para o trabalho de desmontagem de uma passarela, próxima às ruas Caio Prado e Maria Antônia.


Segundo a companhia, a rua está interditada no sentido centro-bairro para quem vai no sentido da avenida Paulista para a montagem de um guindaste, que será usado na retirada da passarela.

A passarela que será desmontada é usada pelo Metrô para transporte de cabos da futura estação Higienópolis-Mackenzie, da linha 4-amarela.

O fluxo na rua da Consolação ocorre normalmente para quem vai no sentido bairro-centro. Os ônibus também seguem pela via em um esquema especial, com ônibus seguindo nos dois sentidos.

Os que sobem a Consolação seguem no contrafluxo, pela pista exclusiva, os que vão para o centro dividem as faixas com os carros.

A CET montou desvios para quem sobe a rua da Consolação. A opção é entrar pelas ruas Maria Antônia, Sabará e Sergipe, para retornar à Consolação.

O bloqueio começou às 23h50 e a expectativa para liberação é as 5h desta terça-feira.

Fonte: Folha ONline

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Rússia impõe embargo parcial à UE

O Serviço Federal Veterinário e Fitossanitário da Rússia (Rosselkhoznadzor) impôs proibições temporárias às importações de carne de seis países europeus, de acordo com um documento emitido pelo governo russo.


O serviço afirma que foram encontradas substâncias nocivas a saúde humana em carne suína produzida por empresas da França, Alemanha, Dinamarca e Hungria, e também em carne de frango da Bélgica e produtos de carne processada da Espanha.

As restrições a carne européia, que prejudicarão nove empresas, passam a valer a partir de manhã.

ANTIBIÓTICO. "Com base na informação inicial disponível, a Rússia justifica as suspensões por ter encontrado resíduos de antibiótico em carne importada", afirmou uma fonte ligada à Comissão Européia, um braço executivo da União Européia (UE).

Fonte: O Tempo

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Lucro da PetroChina cai 31,5% no primeiro trimestre

O lucro da companhia estatal PetroChina caiu 31,5% no primeiro trimestre deste em relação ao mesmo período de 2007, para US$ 4,12 bilhões, informou hoje o jornal "China Daily".

Segundo a companhia em comunicado, a brecha entre os altos preços do petróleo no exterior e o controle dos preços dos produtos refinados por parte do governo chinês provocou "grandes perdas no primeiro trimestre".

A PetroChina Company Limited é subsidiária da CNPC (China National Petroleum Corporation), o maior produtor de petróleo do país.

Fonte: Folha Online

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

28 abril, 2008

Continental rejeita fusão com a United Airlines

Em conversações encerradas abruptamente com a United Airlines, subsidiária da UAL Corp., a Continental Airlines disse que permaneceria independente temporariamente, apesar dos esforços da companhia aérea rival para uma fusão.


A Continental não forneceu detalhes sobre as negociações no relatório divulgado na noite de domingo (27) e não revelou os nomes dos potenciais parceiros. Mas seu movimento foi visto como uma reprovação para a United, que tem tentado durante anos convencer a Continental a formar uma aliança.

A UAL iniciou recentemente as conversações formais sobre a fusão com a Continental, disseram pessoas familiarizadas com o assunto, dando à UAL a impressão de que ela tinha uma posição vantajosa em um negócio com uma das mais saudáveis empresas aéreas dos Estados Unidos.

Em boletim aos funcionários, o chefe executivo da Continental, Larry Kellner, disse que a companhia tem "uma força cultural, operacional e financial significante" que "seria colocada em risco em uma fusão com outra companhia aérea no ambiente atual".

A UAL ainda mantém as negociações com o US Airways Group Inc., de acordo com as pessoas familiarizadas com o assunto.


O chefe executivo da UAL, Glenn Tilton, disse em nota que "a consolidação está no caminho - destacando que ter o parceiro correto é tudo. Nós buscaremos todas as opções para assegurar um futuro forte e sustentável para nossa companhia aérea". Tilton disse que a empresa "não evitará fazer duras escolhas, necessárias para criar valor para nossos acionistas e beneficiar nossos empregados e clientes".

Fonte: G1

Postado por
Newscomex - Comércio Exterior e Logística

André anuncia R$ 26 milhões para rodovias em Maracaju

Foram assinadas hoje em Maracaju ordens de serviço que chegaram a R$ 26 milhões em obras para o município, que serão executadas a partir de recursos federais e estaduais. A cerimônia contou com a presença do governador André Puccinelli (PMDB). Em suma, as obras abrangem a conclusão do anel rodoviário e da pavimentação da MS-164 no município. Puccinelli, conforme a assessoria do governo estadual, disse que as obras devem ficar prontas ainda este ano, uma vez que as verbas já estão garantidas.

Para o anel viário, serão investidos R$ 4.597.284,28, na pavimentação de 4,69 quilômetros. Já a pavimentação da MS-164 receberá R$ 19,2 milhões, abrangendo 31 quilômetros entre o entroncamento da MS-270 até o distrito de Vista Alegre A obra foi dividida em dois subtrechos para conclusão rápida.

Ainda serão investidos na rodovia mais R$ 2,2 milhões, para restauração do asfalto de Vista Alegre até o entroncamento com a BR-267. Os serviços devem ser concluídos em até dez meses. Pucinelli ainda entregou as chaves de uma moto doada para a cidade e que será usada no combate à dengue, e de duas ambulâncias. Os recursos foram adquiridos através de recursos municipais (R$ 20,5 mil), emendas parlamentares estaduais (R$ 70 mil) – dos deputados Reinaldo Azambuja, Professor Rinaldo e Márcio Fernandes (PSDB), Zé Teixeira (DEM) e Paulo Corrêa (PR).

Puccinelli ainda participou do encerramento da Festa da Lingüiça, evento que teve início no dia 25 com agenda de shows, parque de diversões e praça de alimentação. Foram preparadas 20 toneladas da lingüiça de Maracaju para a festividade.

Fonte: Campo Grande News

Postado por Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Brasil amplia exportações de carne

Os países islâmicos triplicaram sua participação na exportação brasileira de carne desde 2005, afirmou o diretor da Central Islâmica Brasileira de Alimentos Halal, Mohamed Hussein El Zoghbi. Ele esteve ontem no Porto de Santos, integrando a comitiva que acompanhou o conselheiro consular da Líbia, Hassan Basherr Mohamed, em uma visita a terminais da região. Seu país compra cerca de 2% da carne bovina vendida pelo Brasil.


"Hoje, 33% das exportações de carne vermelha do Brasil vão para os países islâmicos. Há três anos, esse volume não chegava a 10%", informou Zoghbi, para quem, devido à credibilidade da produção nacional, os números tendem a aumentar.

A visita da comitiva a Santos integrou o programa de acompanhamento da exportação da carne bovina halal, que englobou desde inspeções às fazendas nas quais ocorre o abate do animal até a supervisão do embarque da mercadoria em Santos, por onde sai a maior parte desses carregamentos.

Ontem, o grupo esteve em um terminal retroportuário da Alemoa, em Santos, onde a carga permanece antes de seguir para o cais. O grupo acompanhou a abertura de um contêiner reefer (refrigerado). O cofre estava estufado com dezenas de caixas, cada qual com cerca de 25 quilos de carne desossada. A olho nu, foi possível verificar o selo halal, certificado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Asbastecimento do Brasil, atestando que o animal fora abatido seguindo os procedimentos da religião islâmica.

Um técnico retirou uma das caixas do contêiner e a abriu para averiguar o estado de conservação e a temperatura da carne.

Após alguns minutos de exame, o representante da Líbia, Hassan Mohamed, afirmou estar muito satisfeito, elogiando o trabalho do Brasil.

De acordo com o empresário líbio do setor de alimentos sediado no Brasil, Mohamed Zwei, até pouco tempo os principais exportadores de carne bovina para os países islâmicos eram os países da Europa. "Hoje, esse lugar é do Brasil".

Segundo o chefe do Serviço de Vigilância Agropecuária no Porto de Santos, Celso Ricardo Franchini, a adoção do procedimento halal na exportação da carne para os países islâmicos consegue conciliar os fatores religioso e de saúde pública.

Fonte: A Tribuna-Santos

Postado por Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Ibama libera obras da Perimetral

A Codesp recebeu a Licença de Instalação (LI) do Ibama para iniciar as obras da Avenida Perimetral da Margem Esquerda (Guarujá) do Porto de Santos. A Companhia Docas planeja, agora, abrir licitação para escolher a construtora do projeto em 20 dias.

Fonte: A Tribuna-Santos

Postado por Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Receita da Weg sobe 11%, mas lucro cai

A fabricante de motores e equipamentos elétricos Weg, de Jaraguá do Sul (SC), fechou o primeiro trimestre deste ano com receita operacional líquida de R$ 887,3 milhões, alta de 10,8% sobre o mesmo período de 2007.


As vendas brutas ao mercado interno cresceram 22% sobre o ano anterior e as vendas brutas ao mercado externo convertidas em reais pela taxa de câmbio média decresceram 2,6%. No trimestre, o Ebitda (geração de caixa) cresceu 5,6% em relação ao primeiro trimestre de 2007 atingindo R$ 203,2 milhões. A margem Ebitda foi de 22,9 %, com perda de 1,1 ponto percentual em relação ao primeiro trimestre de 2007.O lucro líquido foi de R$ 125,8 milhões, 2,4% menor do que o do mesmo período de 2007. O resultado corresponde a uma margem líquida de 14,2% no trimestre.

Os investimentos em ativos fixos totalizaram R$ 77,8 milhões no trimestre, 85% destinados ao Brasil e 15% ao exterior. O diretor Administrativo e de Relações com Investidores da Weg, Alidor Lueders, informou no relatório trimestral enviado à Bovespa, que a consolidação do WEG Integrated System (WIS), um sistema de ERP (sistema integrado de gestão) de última geração e grande complexidade, passa por uma curva de aprendizagem, representada pela adoção de novos procedimentos e pela mudança de posturas em toda a organização.

"Estas mudanças são naturais, eram esperadas e se refletiram nos resultados na forma de menor crescimento do faturamento e perda de produtividade, além de significarem, em um primeiro momento, maiores dispêndios com horas extras, consultorias, serviços de terceiros, entre outros." Segundo ele, ao longo dos próximos meses, com a estabilização do sistema, a empresa começará a apreciar os benefícios do gerenciamento mais integrado das unidades e dos negócios.

Lueders informou que apesar das turbulências nos mercados financeiros internacionais, a Weg espera obter crescimento de 20% na receita bruta sobre 2007. "Estimamos que nosso programa de investimentos atinja R$ 520 milhões ao longo de 2008."

Fonte: Gazeta Mercantil

Postado por Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Ford começa 2008 com lucro

Que a Ford não anda muito bem das pernas, isso não é segredo para ninguém. Entretanto, a surpresa dos analistas de plantão foi o anúncio de que a marca conseguiu recuperar US$ 100 milhões no primeiro trimestre de 2008.

Esse número pode estar atribuído às vendas nos mercados da Europa, América Larina, Ásia e África, principalmente às duas primeiras regiões citadas. Ah, vale a pena lembrar, também, que esses números divulgados não incluem a venda milionária das marcas Jaguar e Land Rover pela Ford, marcas compradas pela Tata Motors.

Nos Estados Unidos, principal mercado para a marca, os números são negativos, com um déficit de US$ 45 milhões. Mesmo assim, as cifras agradam, já que 2007 realmente não foi um bom ano para a Ford.

Para continuar melhorando seu orçamento, a Ford deverá manter a estratégia atual: corte de custos em funcionários e produtos. Além disso, a montadora aposta em veículos que estão chegando, como o novo Fiesta e o Kuga.

Fonte: Fast Drive

Postado por Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Bradesco tem lucro 23,3% maior no trimestre, de R$ 2,1 bilhões

O Bradesco fechou o primeiro trimestre deste ano com lucro líquido de R$ 2,102 bilhões, com crescimento de 23,3% no confronto com os R$ 1,705 bilhão somados em período equivalente de 2007.


Em nota, o banco explicou que o lucro líquido foi composto de R$ 1,356 bilhão, proveniente das atividades financeiras, no valor correspondente a 65% do total, e de R$ 746 milhões gerados pelas atividades de seguros, previdência e capitalização, montante que representa 35% do total.

No primeiro trimestre, a carteira de crédito total, considerando avais, fianças e recebíveis de cartões de crédito, elevou-se 38,5%, para R$ 169,408 bilhões. Da carteira, as operações com pessoas físicas alcançaram R$ 62,226 bilhões, um acréscimo de 34,3%, e as operações com pessoas jurídicas atingiram o montante de R$ 107,182 bilhões, o que representa aumento de 41%.

O Bradesco terminou o trimestre com patrimônio líquido de R$ 32,909 bilhões, expansão de 26,4% sobre intervalo semelhante do ano passado. Em março deste ano, os ativos totais somavam R$ 355,517 bilhões, ampliando-se 26,1% na comparação com mesmo período do exercício antecedente.

Fonte: G1

Postado por Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Presidente da Opep não descarta petróleo a US$ 200

O presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Chakib Khelil, não descarta a possibilidade de o barril de petróleo atingir US$ 200,00, segundo publicou em sua página na internet o jornal estatal argelino El Moudjahid. Khelil não deu um prazo.

Ele disse ainda que "os preços estão elevados em conseqüência da recessão nos EUA e da crise econômica que atinge muitos países, uma situação que influencia a queda do dólar".

"Toda a vez que o dólar cai 1%, o preço do barril sobe US$ 4,00 e reciprocamente", disse. Mas Khelil também afirmou que "se o dólar avançar 10%, pode-se apostar que os preços (do petróleo) irão cair em US$ 40,00" o barril. A cesta de petróleo da Opep atingiu preço recorde nesta segunda-feira de US$ 110,13 o barril.

Fonte: G1

Postado por Newscomex - Comércio Exterior e Logística

UE reduz projeção de crescimento para 1,7% em 2008

O crescimento econômico na União Européia está desacelerando este ano e diminuirá mais em 2009, disse a Comissão Européia, observando que a inflação crescente, a fraqueza da economia dos EUA e os altos preços do petróleo estão pesando. A Comissão, braço executivo da UE, espera que a expansão econômica da zona do euro (15 países que utilizam o euro) seja de 1,7% este ano, abaixo da previsão de 1,8% feita em fevereiro. Para todo o bloco de 27 nações da UE, a comissão manteve a estimativa de crescimento de 2% este ano.

Em 2009, a Comissão espera que a economia da zona do euro cresça 1,5% e a UE como um todo deve ter expansão de 1,8%.

A Comissão não disse como espera que o Banco Central Europeu (BCE) ajuste as taxas de juro nos próximos meses, mas afirmou esperar que a inflação na zona do euro fique, em média, em 3,2% este ano. Na UE como um todo, a inflação deve ficar na média de 3,6%.

Sobre a moeda européia, a Comissão espera que o euro se valorize 13% em relação ao dólar este ano. Desde o começo do ano, o euro já subiu até 8,8%, embora as taxas de câmbio atuais representem um aumento de 6,5%.

A Comissão espera que as turbulências atuais nos mercados financeiros, que descreveu como "persistentes", acabem no primeiro semestre do próximo ano.

Fonte: G1

Postado por Newscomex - Comércio Exterior e Logística

24 abril, 2008

Companhia oferece passagens aéreas a partir de R$ 1

A Gol oferece, a partir da 0h desta quinta-feira (24) até as 23h59 deste domingo (27), promoção nas tarifas aéreas que podem custar até R$ 1. Uma viagem de Fortaleza para Recife pode sair ao preço de R$ 3, por exemplo.
As passagens promocionais são válidas para viagens de ida e volta, obrigatoriamente, com estada mínima de duas noites, realizadas entre 26 de abril e 26 de junho. A iniciativa é válida para todos os 49 destinos domésticos operados pela Gol.
Os vôos que acontecerão em feriados, férias escolares, grandes eventos esportivos e religiosos não fazem parte da promoção. A passagem promocional deve ser combinada com a tarifa disponível no momento da compra. O valor mínimo da combinação dos bilhetes será de R$ 60. A promoção "Tarifas imperdíveis" que também oferece outros benefícios aos clientes está disponível no site da Gol. A compra das passagens pode ser feita pelo portal da companhia através de compras diretas e via agências de viagens.

Fonte: Jc Online

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Lula se reúne hoje com presidente da Petrobras

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva receberá hoje à noite, às 19h30, o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. A audiência ocorre em meio a especulações em torno de um possível aumento nos preços da gasolina e do diesel, que estão sem reajuste há 31 meses.

Agora pela manhã, Lula participa da reunião do Conselho Político, integrado por dirigentes de 11 partidos da base aliada. Ele recebe, também as credenciais de novos embaixadores e às 15 horas participará de reunião com as centrais sindicais para discutir, entre outros assuntos, o trabalho informal. A agenda inclui ainda audiência ao presidente da Agência Nacional de Telecomunicações, embaixador Ronaldo Sardenberg, e despacho com o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento.

Fonte: A Tarde Online

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Pórtico-guindaste do dique seco já está no porto


Já está dentro da área do porto organizado do Rio Grande o pórtico-guindaste adquirido pela WTorre/Estaleiro Rio Grande para o primeiro dique seco de grande porte do País, em construção no Superporto rio-grandino. Ele está a bordo do navio Zhen Hua 20, especial para esse tipo de transporte, que o trouxe da China e atracou, na tarde de ontem, nos Dolphins, localizados entre o terminal da Termasa e o Tecon. O equipamento saiu da China em 4 de março e estava fora da Barra do Rio Grande desde o último dia 13, aguardando a retirada da linha de transmissão de energia elétrica para São José do Norte, que atravessa o canal de acesso ao porto para poder entrar.

A retirada do último cabo aéreo da linha de transmissão ocorreu na manhã de ontem, começando às 8h e terminando às 11h50min. E às 13h foram iniciados os trabalhos para a entrada do pórtico que, às 14h08min entrou na área dos Molhes da Barra e seguiu pelo canal de acesso. Às 14h25min, o navio com o equipamento passou entre as torres da linha de transmissão e minutos depois chegou ao ponto de atracação. A remoção da linha foi necessária porque as torres auxiliares de montagem que o acompanham têm altura de aproximadamente 100 metros, enquanto os cabos aéreos estavam a 72 metros do nível da água.

Conforme o engenheiro naval Neocélio Marinho, da WTorre, o pórtico-guindaste, construído pela empresa ZPMC (Zenhua Port Machinery Company), de Shanghai, veio desmontado, em duas partes, e por isso está com 45 metros de altura. Depois de montado, ficará com 90 metros de altura.

Engenheiros chineses responsáveis pela montagem do equipamento vieram com o navio. O guindaste de aço, de 130 metros de vão, com capacidade para levantamento de cargas de até 600 toneladas, ficará no local de atracação até 10 ou 15 de maio.

Até lá, serão feitos os preparativos para descarga e a montagem total do equipamento que, pronto, pesará 2,8 mil toneladas, segundo Marinho. Ele irá para o dique seco já montado e ficará entre os dois cais que compõem as laterais do dique. Trata-se de um guindaste sobre trilhos, que transportará blocos construídos nas oficinas do dique e colocará no navio ou plataforma em montagem.

Linha de transmissão

Nesta quinta-feira, a HotLine, empresa contratada pela WTorre para fazer a substituição dos cabos aéreos da linha de transmissão de energia para São José do Norte, começa a instalação de novos condutores aéreos, mais flexíveis e de maior resistência mecânica, que permitirão a entrada de outras estruturas no Porto do Rio Grande, uma vez que podem ser tracionados. Um exemplo é o porta-batel que o navio Zhen Hua 19 trará em maio, também da China, para o dique seco. Conforme a engenheira eletricista Monalisa Braga, da HotLine, desta vez serão instalados quatro cabos, que é o padrão. A linha anterior tinha cinco. Será um pára-raio, no qual serão instaladas 15 esferas sinalizadoras, e três condutores.

A instalação começa pelo cabo pára-raio. Concluída a colocação dos novos cabos, São José do Norte voltará a receber energia da CEEE. Desde a última sexta-feira, o Município é abastecido por três grupos de geradores. Posteriormente, os cabos aéreos serão substituídos por subaquáticos.

Fonte: Jornal Agora

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Dubai enviará missão empresarial ao Rio Grande do Sul

A delegação governamental gaúcha que está em Dubai para apresentar as potencialidades gaúchas nas áreas de investimentos recebeu da Câmara de Comércio e Indústria daquela cidade solicitação para que seja organizado um programa de visitas para uma missão empresarial ao Rio Grande do Sul.
Para o secretário Luiz Fernando Záchia, tanto o diretor executivo de Serviços Comerciais como o diretor de Relações Internacionais da Câmara de Comércio e Indústria de Dubai mostraram interesse em conhecer o Estado.

A função da Câmara do Comércio e Indústria é a de representar e incentivar o desenvolvimento das empresas locais, além de promover a competitividade global dos negócios baseados em Dubai, bem como estabelecer oportunidades de parcerias em negócios internacionais.

A delegação que viajou de Hannover, na Alemanha, para Dubai é integrada, além do secretário Luiz Fernando Záchia, pelos secretários da Fazenda, Aod Cunha, da Infra-estrutura e Logística, Daniel Andrade, e do Meio Ambiente Carlos Otaviano Brenner de Moraes.

Em Dubai, a delegação gaúcha manteve, ainda, encontro com o secretário-geral do Departamento de Municipalidades, Jassim M. Bin Darwesh. A função desse departamento é criar uma cidade por excelência em diversas áreas, sendo uma das principais propulsoras do desenvolvimento recente da cidade. Sua atuação se estende à habitação, ao lazer, à segurança, à saúde e à educação, inclusive ao licenciamento ambiental.

Nesta quinta-feira, 24, a delegação gaúcha, que inclui também a presidente da Caixa RS, Susana Kakuta, e a diretora-presidente da Fepam, Ana Pellini, terá, às 10h, uma reunião com a Jafza - Jebel All Free Zone Authority e DP World - zona de livre comércio em Dubai, considerada uma das maiores do mundo. Isenta de taxas e burocracias, ela fomenta o desenvolvimento dos negócios na região. A DP Wordl é uma das quatro grandes empresas portuárias mundiais. Vinculada ao governo de Dubai, mantém operações em mais de cem países e nos cinco continentes.

O programa prevê, também, reunião com dirigentes da empresa Masdar, em Abu Dhabi, que desenvolve o Projeto Cidade. Considerada uma das iniciativas mais inovadoras do governo dos Emirados Árabes Unidos, a idéia é criar uma cidade futurística, no meio do deserto, em que se defende o lema "Zero Carbono, Zero Desperdício".

Numa parceria com instituições mundialmente renomadas, a Masdar será uma cidade que utilizará 100% de energias renováveis, não poluirá o ambiente e ainda reciclará todo o lixo que produzir. Numa área de cinco quilômetros quadrados, seus futuros 50 mil habitantes terão à disposição tecnologia e infra-estrutura previstas como das mais avançadas do planeta. Companhia privada de capital social, a Masdar Abu Dhabi Future Energie Company (ADFEC), estabelecida em Abu Dhabi e controlada pela Companhia de Desenvolvimento Mudabala, foi designada para conduzir o projeto Masdar e patrocinar o desenvolvimento de energias avançadas e de tecnologias sustentáveis.

Fonte: Jornal Agora

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Via expressa do porto será discutida em audiência pública

Representantes da sociedade civil, governos federal, estadual e municipal participam, nesta quinta-feira (24), às 10h, no auditório da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), em Narandiba, de uma audiência pública sobre a via expressa de acesso ao porto de Salvador.

O principal projeto do PAC na área de infra-estrutura na capital terá um investimento de R$ 380 milhões na ligação da BR 324 ao Porto de Salvador. Após a etapa de licenciamento ambiental, com a aprovação do Conselho Municipal de Meio Ambiente, o próximo passo prevê a licitação da obra.

A via expressa de acesso é a mais importante intervenção na área de infra-estrutura viária de Salvador nos últimos 30 anos. A obra, uma parceria dos governos federal e estadual, mobiliza as Secretarias de Desenvolvimento Urbano, à qual a Conder está vinculada, e de Infra-Estrutura.

Fonte: Jornal da Mídia

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Câmbio alivia alta do combustível para aéreas brasileiras

O sinal vermelho no setor aéreo mundial acendeu com os contínuos recordes na cotação do petróleo. No Brasil, espera-se que as companhias aéreas registrem um forte crescimento na conta do combustível, que pode se transformar em aumento no preço das passagens. Ao menos nas operações domésticas, porém, as empresa nacionais ainda contam com a desvalorização do dólar para compensar o avanço do combustível.

"As companhias brasileiras ainda não estão numa situação alarmante como a que se vê entre as empresas aéreas no exterior", afirma Daniela Bretthauer, analista de aviação do banco Goldman Sachs. "Mas elas vão sofrer um impacto grande com aumento do preço do petróleo, ainda que isto não seja tão visível agora", diz. O combustível costuma ser o maior gasto na conta de uma empresa aérea. No quarto trimestre do ano passado, esse item representava 30% e 36% dos custos operacionais da TAM e da Gol, respectivamente.

Fonte: Valor Econômico

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Governo barra exportação de arroz


Como efeito direto da crise mundial de alimentos e por temer o desabastecimento interno, o governo proibiu por tempo indeterminado a exportação de arroz do estoque público, administrado pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). O governo também cogita intervir no milho.

O estoque de arroz da Conab é avaliado em 1,6 milhão de toneladas. O Ministério da Agricultura se reúne hoje para discutir os novos leilões do cereal da Conab e eventuais medidas para impedir a venda ao exterior mesmo dos produtores.

Os leilões da Conab servem justamente para evitar uma disparada de preços e eventuais efeitos no índice de inflação. Tradicionais âncoras da estabilidade, os preços dos alimentos vêm subindo recentemente.

Se as medidas forem insuficientes, o Ministério da Agricultura admite adotar barreiras. "Temos que dar segurança de que não faltará arroz, de que os preços não irão disparar e de que não haja especulação, além da que ocorre no mercado mundial. Se for necessário, adotaremos barreiras", disse o ministro Reinhold Stephanes.

Hoje, o governo só dificulta a exportação de um produto agrícola, o couro wet blue, via imposto de exportação.

A CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) acompanha o assunto com "apreensão". "Estamos bastante apreensivos sobre qualquer intervenção estatal para a exportação de produtos agrícolas. Na Argentina, isso quase chegou a uma guerra civil", disse Ricardo Cotta, superintendente técnico da instituição.

A exportação de arroz foi suspensa na semana passada, quando o governo recebia a 30ª Conferência da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação).

O que pesou na decisão do governo brasileiro foi a suspensão das vendas de tradicionais países exportadores da Ásia, como Camboja, Indonésia, Malásia, Cazaquistão, Vietnã, Egito e Índia. Desde o mês passado, esses países vêm restringindo as exportações. A proibição adotada pelo Brasil veio a público ontem, durante um comentário do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Todo mundo quer comprar arroz, e o país não tem estoque que nos permita abrir mão de parte da produção. O Brasil foi obrigado a parar porque não pode deixar o mercado interno correndo risco", disse.

Após a venda de cerca de 500 mil toneladas, países africanos e da América do Sul consultaram o Brasil sobre a possibilidade de exportação de outras 600 mil toneladas, mas o embarque foi negado.

O Brasil não é um exportador tradicional de arroz. Segundo Stephanes, não há risco imediato de falta de arroz no mercado doméstico. "Temos que tomar cuidado porque podemos ter problemas daqui a cinco ou seis meses."

Milho

O risco de desabastecimento, embora em menor nível, abrange o milho. Stephanes disse que o excedente no país é de 12 milhões de toneladas. "Embora a folga seja relativamente grande, se não conseguirmos prever possibilidade de importação, diria que todos os mecanismos possíveis devem ser adotados para assegurar o abastecimento, ainda mais porque se trata de um insumo para a produção de carnes e leite", disse o ministro.

Segundo Stephanes, o monitoramento mais acurado do milho leva em conta a maior demanda mundial e a possibilidade de menor oferta em dezembro e janeiro, na entressafra.

Fonte: Folha de S. Paulo

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Petrobras investirá R$4 bi na Bahia até 2012

A Petrobras está executando um plano de investimentos para a Bahia orçado em quase R$4 bilhões até 2012. Entre as obras em andamento, está a construção, no município de Candeias, da primeira usina de biodiesel da empresa no Brasil. Segundo o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, que ontem participou de uma palestra para professores e alunos da Universidade Federal da Bahia (Ufba), já foram investidos na planta cerca de R$78 milhões. A unidade, cuja inauguração foi confirmada para o final deste semestre, irá produzir 57 milhões de litros de combustível por ano, a partir de dendê, algodão, girassol, mamona e outras oleaginosas fornecidas por pequenos produtores ligados à agricultura familiar.

Além da usina, os investimentos da companhia no estado incluem ainda a implantação de duas novas unidades de produção na Refinaria Landulpho Alves (Rlam), em São Francisco do Conde, projeto orçado em R$1,5 bilhão. Com a ampliação, a refinaria poderá, a partir de 2010, produzir diesel e gasolina com menor teor de enxofre. As obras serão iniciadas em janeiro de 2009 e devem durar dois anos. Durante esse período, serão gerados cerca de cinco mil postos de trabalho no território baiano.

Combustíveis - Durante o encontro na Ufba, o presidente da Petrobras, ao lado do reitor Naomar de Almeida, preferiu não comentar sobre a possibilidade de reajuste no preço dos combustíveis. O dirigente acredita que o valor do petróleo, que no início da semana ficou em US$120 o barril, tende a se estabilizar em alta devido à queda dos estoques. Enquanto isso, o cenário atual é de equilíbrio entre demanda e oferta do produto, em torno de 86 milhões de barris por dia.

Gabrielli defendeu ainda mudanças na Lei do Petróleo, que regula o setor no Brasil, sobretudo em relação ao risco exploratório para futuros contratos de concessão nos blocos do chamado pré-sal, área que engloba reservas já testadas como Tupi, Júpiter e Carioca. Ele citou como exemplo o campo de Tupi, na Bacia de Santos, onde as concessionárias, incluindo a Petrobras, já investiram US$240 milhões. “Na época foi um risco que deu certo. Mas hoje não existe mais risco porque as reservas já estão identificadas, estimadas entre cinco e oito bilhões de barris”, argumentou.

Fonte: Correio da Bahia

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Ford sai do prejuízo e lucra US$ 100 mi no 1º trimestre

A montadora americana de veículos Ford anunciou hoje que obteve um lucro líquido de US$ 100 milhões no primeiro trimestre deste ano, contra um prejuízo de US$ 282 milhões em igual período do ano passado. O resultado positivo foi atribuído a reduções de custo na América do Norte e ao forte desempenho de suas operações internacionais, lideradas pela Europa.

A receita da montadora caiu para US$ 39,4 bilhões entre janeiro e março de 2008, ante US$ 43 bilhões no primeiro trimestre de 2007, devido parcialmente ao fato de a Ford não ter contabilizado a receita das suas marcas de luxo, Jaguar e Land Rover, que se encontram em processo de venda para a indiana Tata.

O executivo-chefe da Ford, Alan Mulally, está se apoiando na melhora do desempenho trimestral para reforçar seus argumentos em defesa da atual reestruturação da companhia, que perdeu US$ 15,3 bilhões nos últimos dois anos. Segundo ele, a montadora quer voltar a ser lucrativa em 2009. "Nosso plano está funcionando", disse Mulally, em comunicado. "O resto de 2008 será um desafio, mas estamos cautelosamente otimistas, a despeito das dificuldades externas", declarou.

Fonte: A Tarde Online

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Companhias brasileiras terão oito aviões gigantes da Airbus


A fabricante de aviões Airbus divulgou ontem as estimativas para a demanda mundial e da América Latina para os próximos 20 anos. De acordo com a companhia, o Brasil precisará de 332 aviões até 2026, sendo oito A380, o avião gigante com capacidade para até 800 passageiros. Segundo Rafael Alonso, vice-presidente da empresa para a América Latina e Caribe, a crescente demanda por aviões no Brasil é conseqüência do incremento do tráfego aéreo de passageiros. Segundo a empresa, desde os anos 90 o tráfego internacional brasileiro mais que dobrou, enquanto o movimento doméstico cresceu 77%.

Para a Airbus, os 332 aviões comerciais que o Brasil deve adicionar à sua frota representarão um valor de US$32 bilhões. “O Brasil, tendo a maior economia da América Latina, tem levado ao imenso crescimento do tráfego aéreo de passageiros, e isso vai se acentuar nos próximos 20 anos”, afirmou Alonso. O executivo afirmou ainda que a Airbus obteve 61% das encomendas feitas no Brasil nos últimos dez anos. Atualmente, a frota da empresa aqui é de 103 aeronaves comerciais, todos operados pela TAM. O 104º avião é o do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No total, o Brasil tem 208 aviões acima de 120 passageiros em operação atualmente. A Airbus estimou ontem que o mudo deve ampliar em 24,3 mil aeronaves comerciais e de carga a sua frota até 2026. Para a América Latina, são 1.500 aviões de passageiros. No mundo, o maior comprador deve ser os Estados Unidos, com 5.800 aeronaves, seguida pela China (3 mil) e Reino Unido (1.100). Na América Latina, o Brasil é o segundo maior comprador, atrás do México, que deve adquirir 480 aviões no mesmo período.

Fonte: Correio daBahia

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

23 abril, 2008

Comerciantes protestam contra desapropriação para metrô em SP

Comerciantes de Santo Amaro, bairro da zona sul da cidade de São Paulo, interromperam ontem o trânsito da avenida Adolfo Pinheiro por cerca de uma hora para protestar contra as desapropriações anunciadas pelo governo do Estado para ampliar a linha 5-lilás do metrô. Cerca de 500 pessoas participaram da manifestação.

No início do mês, foi publicada a lista com os 141 imóveis que devem ser desapropriados para a construção da estação Adolfo Pinheiro, anunciada para 2010. Entre os imóveis, há 96 lojas da galeria Borba Gato e o ambulatório da Santa Casa.

Os comerciantes querem que o Metrô analise a hipótese de fazer a obra em outros terrenos próximos. "Temos áreas muito menos densas aqui perto que pesariam menos no bolso de todo mundo", afirma a empresária Regina Buttiner.

O diretor de assuntos corporativos do Metrô, Sergio Avelledo diz que a possibilidade não existe. "Os interesses particulares são importantes, mas não maiores que os coletivos. Fizemos um estudo e ali está a maior demanda do bairro."

O quadrilátero que será desapropriado fica entre a Adolfo Pinheiro, a José Anchieta, a São Benedito e a Izabel Schmidt. Serão poupados o Hospital Santa Marta e o prédio principal da Santa Casa. Um ambulatório da Santa Casa será removido e o Metrô deverá ceder nova área à entidade.

Fonte: Folha Online

Postado por:
Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Petrobras pode fazer reajustes em breve devido defasagem


A disparada do preço do petróleo deve aumentar a defasagem entre os preços praticados no Brasil e no mercado internacional e poderá levar a Petrobras a reajustar os combustíveis em breve. A previsão é do economista Fábio Silveira, sócio-diretor da RC Consultores. “Não descartaria a hipótese de reajustes”, disse Silveira.

Segundo o economista, a defasagem no preço da gasolina é, em média, de 18%, enquanto a do óleo diesel chega a 25%. Ele ressalta, no entanto, que os reajustes não viriam nessa magnitude. “Se viessem, poderíamos esquecer a meta inflacionária”, observou. Para ele, os reajustes virão em parcelas, com um primeiro de cerca de 5%. “Depois de três, quatro ou cinco meses, (a Petrobras) poderia pensar em outro reajuste e jogaria a pressão inflacionária para o ano que vem.

Silveira disse ainda que o petróleo é hoje o maior risco para a inflação global, e algumas matérias-primas agrícolas, como açúcar, soja e café, e metálicas atingiram o auge dos preços em março e podem parar de subir daqui para a frente. Na opinião do economista, está cada vez mais difícil prever um teto para o petróleo, e os preços podem “ir para a lua” com o descontrole do mercado financeiro. “Nesse estágio de ultranervosismo, podemos esperar tudo. Trata-se de um mercado que perdeu o referencial e não há preço de equilíbrio.Segundo ele, é possível que nos próximos dias a commodity supere os US$ 120, podendo chegar perto de US$ 125. Nessa terça-feira, o barril na Bolsa de Nova York (Nymex) bateu o recorde de US$ 119,90. “Há efeito manada, com investidores bastante desorientados. Há incerteza muito grande, apesar da ação do Fed (BC americano), do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco Central da Inglaterra (BOE). “Todas as ações atenuam, mas não removem o temor de que notícias piores poderão surgir”, comentou.

Fonte: Estado de Minas Uai

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Amazonas terá Câmara de Comércio Portuguesa

Manaus - O presidente da Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil, Antônio Carrelhas, participou nessa terça, 22, em Manaus, de uma reunião com a comunidade portuguesa, entidades de classe e empresários locais. O objetivo do encontro é a criação da Câmara de Comércio Portuguesa no Amazonas e estreitar os negócios entre Portugal e a Zona Franca de Manaus.

De acordo com o cônsul de Portugal no Amazonas e presidente da Associação Comercial do Amazonas (ACA), José Azevedo, a Câmara de Comércio Portuguesa deve entrar em funcionamento no Estado até o fim do ano e funcionar na sede da ACA. “Atualmente, mais de 5 milhões de portugueses e descendentes estão espalhados pelo mundo. A própria ACA foi fundada por portugueses. Queremos aumentar esse relacionamento para gerar oportunidades no comércio, na indústria e até culturalmente”, explica Azevedo.

O encontro, que aconteceu na sede da ACA e contou com a presença de empresários e representantes da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) e da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas, foi organizado pela ACA e pela superintendente da Suframa, Flávia Grosso, com o objetivo de divulgar as ações da Câmara no Estado. Como forma de incentivar a realização de negócios com Portugal, a Suframa está organizando uma comitiva de cerca de 10 empresários locais para apresentar os produtos amazônicos na Feira Internacional de Alimentos que será realizada na cidade do Porto, no dia 7 de maio.

Expansão

Os investimentos diretos portugueses no Brasil aumentaram 48,9% em 2007, na comparação com o ano anterior, totalizando US$ 519 milhões, de acordo com informações do Banco Central à Agência Lusa de Notícias. A entrada de investimentos diretos no Brasil provenientes de Portugal nos dois primeiros meses de 2008 já soma US$ 190 milhões (R$ 327,6 milhões). Desse total, US$ 100 milhões são atribuídos a investimentos da Prolagos, concessionária responsável pelos serviços de saneamento básico e abastecimento de água de alguns municípios no Estado do Rio de Janeiro, como Cabo Frio, Búzios e Arraial do Cabo. Do total de investimentos estrangeiros no Brasil realizados no ano passado (US$ 34,6 bilhões), os recursos portugueses representaram 1,5%.

Fonte: Portugal Digital

Postado por:
Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Restrição das exportações de arroz da Tailândia irá piorar


Os responsáveis dos Banco Mundial estão preocupados com a possibilidade de a Tailândia, o maior exportador de arroz do mundo, restringir as vendas ao estrangeiro daquele alimento, à semelhança do que fizeram outros países asiáticos, agravando ainda mais a actual crise alimentar.

Os principais exportadores de arroz, como a Índia e o Vietname impuseram restrições às exportações para garantir o alimentação das suas populações, contribuindo para o recente aumento dos preços, afirmou James Adams, vice-presidente do Banco Mundial para o departamento Ásia e Pacífico.

O arroz, responsável pela alimentação de três mil milhões de pessoas, já duplicou de preço no último ano, pressionando a Tailândia a seguir os seus vizinhos asiáticos e reduzir as exportações. Tal medida iria aumentar ainda mais os preços, uma vez que a Tailândia representa cerca de um terço das exportações mundiais de arroz, segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos.

“Se um importante exportador com a Tailândia limitar as vendas ao estrangeiro, seria o mesmo que Arábia Saudita reduzisse as exportações de petróleo. Quanto mais países restringirem as suas exportações, mais forte se torna a pressão para a Tailândia fazer o mesmo”, defendeu James Adams, sublinhando que “o Banco Mundial tem esperança que a Tailândia continue a resistir às pressões para diminuir as exportações.

Perante estes rumores, o primeiro-ministro da Tailândia, Samak Sundaravej veio ontem negar que o País tenha planos para restringir as exportações. “Não há necessidade”, garantiu o governante, acrescentando que “a Tailândia perderia o estatuto de cozinha do mundo” se os fornecimentos forem reduzidos”.

O preço do arroz de referência das exportações atingiu no dia 9 de Abril um recorde nos 854 dólares a tonelada, um valor que compara com os 327,25 dólares a tonelada no mesmo período do ano passado.

O encarecimento do arroz, bem como de outras bens alimentares essenciais como o milho e o trigo, resulta dos elevados preços do petróleo, da forte procura dos mercados emergentes, do desvio de culturas agrícolas para a produção de biocombustíveis, do mau tempo e da actual turbulência financeira, que transformou as matérias-primas em activos mais apetecíveis.

O Banco Mundial estima que existem 33 países, desde o México ou Iémen, em risco de viverem "tumultos sociais" devido à subida do preço da comida.

"Limitar as exportações é política pura e má economia, uma vez que o controlo das exportações destrói os incentivos dos agricultores para plantar mais arroz", afirmou Gary Becker, Nobel e economista na Universidade de Chicago, citado pela Bloomberg

“O arroz é talvez a comida mais explosiva politicamente, já que constitui a base de alimentação de muitas nações pobres da Ásia”, salientou Becker.

Fonte: Diário Econômico

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Exportação sobe 20% e EUA são maiores compradores

Mesmo com a greve dos auditores fiscais, as indústrias e empresas de Sorocaba conseguiram movimentar cerca de R$ 1,3 bilhão, em exportação e importação, durante os três primeiros meses de 2008.

O balanço, divulgado pelo Ministério de Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior, ainda mostra que o número de exportações teve um crescimento de 20,90%, na comparação com o trimestre do ano passado.

O total, de R$ 594,071 milhões, coloca a cidade em sétimo lugar do Estado, no volume de exportação.

Já a quantidade importada pelo município registrou um crescimento de 40,61% em relação aos três primeiros meses de 2007, com um total de R$ 764,4 milhões.

EUA compram mais
Nos três primeiros meses de 2008, os Estados Unidos foram responsáveis por 29,96% ou mais de R$ 183,7 milhões das exportações das indústrias locais.

Em segundo aparece a Argentina como outra compradora dos produtos sorocabanos, com mais de R$ 54 milhões – ou 15,21% do total. Depois, estão Alemanha (10,75%), Chile (9,92%) e Venezuela (4,65%).

Dos bens mais exportados pelas indústrias, 71% são de capital, 26,8% são de intermediários e 1,38% são de consumo.

Os produtos que mais foram exportados em março foram partes de motores e geradores (27%) e terminais portáteis de telefonia celular (12,7%).

Pelo menos nos três primeiros meses de 2008, a Alemanha desbancou a China e passou a ser a maior fornecedora de materiais para as indústrias de Sorocaba.

No trimestre, os alemães exportaram mais de R$ 159,8 milhões em produtos para os sorocabanos, cerca de 29,36% do total.

Os chineses aparecem em segundo, com R$ 154,45 milhões (19,53%).

Os Estados Unidos são os terceiros maiores fornecedores, com R$ 120 milhões – o que corresponde a 15,19% do total.

Fonte: Jornal Bom Dia Sorocaba

Postado por:
Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Argentina taxa exportação para conter preços

O trigo não é motivo de desentendimento só entre Brasil e Argentina, mas também entre o governo da presidente Cristina Kirchner e os produtores rurais. Em março, os ruralistas realizaram um locaute agropecuário durante 21 dias, contra o aumento de impostos sobre as exportações de soja e girassol.

A medida faz parte da mesma política de restrição às exportações aplicada à soja e a outros alimentos, implementada desde o governo de Néstor Kirchner (2003-2007). O governo teria duas motivações principais com o aumento de impostos: conter os preços dos alimentos no mercado interno e garantir o abastecimento. Mas o locaute teve efeito contrário e gerou desabastecimento no país de carne e laticínios.

O conflito entre campo e governo agora passa por um período de trégua. Uma das promessas do governo para acalmar os produtores havia sido justamente reabrir as exportações de trigo.

Em vez disso, na semana passada, a suspensão, que seria reaberta na segunda, foi prorrogada mais uma vez.

A economia argentina vem apresentando um crescimento de mais de 8% anuais há cinco anos. Um dos principais motivos para a expansão da economia é o elevado preço de suas commodities, como o trigo e a soja, no mercado internacional. A exportação de carne, muito requisitada no exterior, também foi suspensa.

Fonte: Estado de Minas Uai

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Vale investe R$ 500 mi em Minas

O ramal ferroviário entre Corinto (Região Central) e Pirapora (Norte de Minas), de 150 quilômetros, será reativado pela Vale e usado no transporte de produtos agrícolas oriundos do Noroeste de Minas, que serão levados até o Porto de Vitória e exportados para Estados Unidos e Europa. A Vale também vai construir um terminal para transbordo de cargas em Pirapora. O projeto envolve investimentos de R$ 500 milhões e terá o apoio do governo mineiro e da Prefeitura de Pirapora.

O empreendimento foi confirmado ao Estado de Minas por um representante da Vale. Já o prefeito de Pirapora, Warmilton Fonseca Braga (DEM), revelou que, no fim de abril ou início de maio, será assinado o protocolo entre a Vale, governo e município definindo detalhes do investimento. Hoje, será realizada em Pirapora uma reunião entre representantes da Vale, prefeitura e empresas exportadoras para discutir o projeto. A recuperação do ramal Corinto/Pirapora, desativado há mais de 15 anos, prevê a substituição da bitola dos trilhos e aquisição de novos vagões. Em Pirapora, o terminal será construído num terreno de 720 mil metros quadrados, que será doado pela prefeitura.

O objetivo é que a produção de grãos (soja, feijão, arroz e milho) do Noroeste seja transportada por rodovia até Pirapora – inicialmente, prevê-se 350 carretas por dia. No terminal, as mercadorias serão embarcadas em vagões até o porto no Espírito Santo. Os vagões, por sua vez, voltarão carregados de fertilizantes, destinados aos produtores do Noreste mineiro. Para tanto, serão instalados misturadores no terminal. “Esse sistema é importante, porque grande parte dos fertilizantes é importada”, diz o prefeito, lembrando que o empreendimento poderá beneficiar também produtores de grãos do Sul de Goiás.

Segundo Braga, dos R$ 500 milhões de investimentos previstos inicialmente, cerca de R$ 425 milhões serão aplicados na recuperação do ramal. Outros R$ 75 milhões deverão ser gastos na construção do terminal. “Mas o projeto é muito grande e sua ampliação poderá envolver investimentos de até R$ 1 bilhão”, diz Braga, lembrando que o governo deverá se comprometer a pavimentar as estradas do Noroeste e conceder incentivos fiscais.

Fonte: Estado de Minas Uai

Postado por:
Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Boeing e Airbus copiam Embraer para reduzir custos

Para driblar a forte competição do mercado e reduzir custos, Boeing e Airbus estão seguindo o caminho da Embraer e terceirizando parte significativa de sua produção dentro de um modelo de parceria de riscos. A fabricante nacional foi pioneira em utilizar a chamada gestão de parceria de riscos, na década de 90.

Na época, a Embraer teve de reinventar a indústria aeronáutica para garantir a sobrevivência e tornar-se atraente para investidores interessados em sua privatização. Com um projeto - o jato regional EMB 145 -, mas sem capital para tirá-lo do papel, a Embraer decidiu compartilhar os custos e os riscos com fornecedores. Com isso, transformou-se numa montadora.

O sistema de parcerias foi uma grande inovação, diz a pesquisadora Zil Miranda, autora de O Vôo da Embraer, a competitividade brasileira na indústria de alta tecnologia. A capacidade de gerenciar uma cadeia complexa de fornecedores é hoje um dos maiores ativos da Embraer.

Fonte: A Tarde Online

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Lucro da VW aumenta 26% para US$ 1,48 bi no trimestre

A Volkswagen anunciou que seu lucro depois do pagamento de impostos aumentou 26% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2007, puxado pelo crescimento das vendas em mercados emergentes. A montadora alemã informou ter obtido lucro de 929 milhões de euros (US$ 1,48 bilhão) nos primeiros três meses do ano, comparado a 740 milhões de euros no mesmo intervalo do ano passado. A companhia também confirmou que espera elevação do lucro operacional e das receitas em 2008.

As vendas de janeiro a março somaram 1,57 milhão de veículos em todo o mundo, 7% acima do total atingido no primeiro trimestre de 2007, impulsionadas pela aceleração da demanda em mercados como Brasil e China. A Volkswagen previu que as vendas de abril também apresentem expansão de 7% em relação ao mesmo mês do ano passado, para cerca de 550 mil unidades. "Esperamos que a demanda pelos veículos do grupo aumente substancialmente, especialmente nas regiões da Ásia-Pacífico, Europa Central e Oriental e América do Sul", informou, num comunicado, a maior montadora européia.

O lucro operacional da Volkswagen aumentou 21% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para 1,31 bilhão de euros (US$ 2 bilhões), contra 1,09 bilhão de euros. O faturamento cresceu 1,4% nas mesmas bases de comparação, para 27 bilhões de euros (US$ 43,1 bilhões), de US$ 26,64 bilhões de euros.

Fonte: Estado de Minas Uai

Postado por:
Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Ford Fiesta ganha versão “S”


A Ford resolveu apostar mais um pouco no Fiesta e criou a versão “S”, apresentada nos últimos dias no Salão do Automóvel de Pequim, que está acontecendo na China. A marca aposta em um desenho mais moderno e uma ampla lista de equipamentos.

Ainda não foi divulgada exatamente qual motorização o novo modelo usará, mas acredita-se que existirão opções como 1.4i, de 80 cv, e 1.6i 16V, de 115 cv. Também poderá aparecer mais uma versão, a 1.6i, de 100 cv. Essa última não deverá ser utilizada no mercado europeu.

As pretensões da marca norte-americana com o modelo é produzir, inicialmente, cerca de 160 000 unidades por ano.

Fonte: Fast Drive

Postado por:
Newscomex - Comércio Exterior e Logística

22 abril, 2008

Gasto de Cuba com importação de alimentos crescerá 20%

O Governo de Cuba gastará mais de US$ 1,9 bilhão na importação de alimentos durante este ano, devido ao aumento dos preços internacionais destes produtos e dos fretes.

Em comparação com 2007, quando foram gastos US$ 1,6 bilhão nas mesmas compras, o Executivo vai pagar 20% a mais pelos alimentos que importar.

Pedro Álvarez, presidente da Alimport - a estatal responsável por estas compras -, disse hoje em entrevista coletiva que, este ano, as despesas com produtos importados - que são 84% dos que compõem a cesta básica fornecida à população a preços subvencionados - passarão de "US$ 1,9 bilhão.

Segundo o funcionário, "há alguns produtos que crescem (em volume), mas, fundamentalmente, o aumento é decorrente dos preços e dos fretes".

O aumento dos gastos acontece em um momento em que o presidente de Cuba, Raúl Castro, promove uma reestruturação no setor agrícola para revitalizar a produção no campo e conseguir a substituição destas importações.

Na entrevista que concedeu, Álvarez também destacou que o Governo traçou uma "política muito forte" para alcançar estas duas metas.

Segundo o presidente da Alimport, o objetivo é "produzir aquilo que for possível em Cuba com custos razoáveis".

Porém, Ávarez admitiu que o país "ainda está longe de cobrir suas necessidades" e que há culturas cujo desenvolvimento é prejudicado pelo clima da ilha, "como é o caso do trigo".

Fonte: Último Segundo

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Em Santos, melhora o ritmo de desembaraço de cargas

Os auditores fiscais de algumas das principais portas de entrada do País trocaram a greve pela operação-padrão desde quinta-feira. Os 250 fiscais lotados no Porto de Santos, o maior da América Latina, por exemplo, já retornaram ao trabalho, mas o ritmo de liberação das mercadorias vai depender das negociações com o governo.

“Na quinta e sexta-feiras, o ritmo de desembaraço voltou ao normal em Santos”, diz o diretor-executivo da Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegários (Abtra), José Roberto Campos. Ele não tinha informações sobre o trabalho dos auditores no fim de semana prolongado pelo feriado de Tiradentes.

Apesar da volta dos fiscais ao trabalho, é grande a quantidade de mercadoria acumulada aguardando desembaraço nos terminais de Santos, depois de um mês de greve. “Se os fiscais mantiverem o ritmo de liberação, em 15 dias a situação já deverá estar normalizada no Porto de Santos, acredita Campos.

Fonte: AE

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Movimentação de veículos no Porto do Rio Grande cresce 64,7%


A movimentação de veículos no Porto do Rio Grande registrou expressivo crescimento no primeiro trimestre deste ano, atingindo 14.784 unidades, número 64,7% maior do que o obtido em igual período de 2007. O grande destaque ficou com as importações que tiveram incremento de 78,9%, com o desembarque de 14.188 veículos. No mesmo período, as exportações que registraram decréscimo de 42,8%, com 596 unidades embarcadas.

O bom desempenho nas importações de veículos já aponta para uma movimentação recorde neste ano. Nesse segmento, o crescimento se deve principalmente às operações da GM, que prevêem aumento de suas operações pelo porto rio-grandino este ano. Somente a movimentação do modelo Classic, da montadora, procedente da Argentina, atingiu 12.460 unidades, com incremento de 76,4%. A caminhonete Tracker, também da GM, obteve boa movimentação com 1.477 veículos, com acréscimo de 73,9%, bem como o Ômega australiano, que teve um aumento de 1.005%, com 221 unidades. Ainda no desembarque, destacam-se os tratores, com 30 unidades, enquanto que no mesmo período do ano anterior não foram realizadas movimentações deste tipo de carga.

Já as exportações, não tiveram o mesmo êxito das importações, registrando queda em todas as mercadorias operadas: tratores (-47%), ônibus (-70%), colheitadeira (-13,5%).

Fonte: Jornal Agora/Rio Grande,RS

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

Maior trem do mundo começa a operar hoje na Ferrovia


O maior trem do mundo, com 330 vagões, cerca de 3.500 metros de extensão e capacidade para transportar 40 mil toneladas, começa a circular hoje na Estrada de Ferro Carajás (EFC), operada pela Vale nos estados do Maranhão e Pará. Até então, a companhia operava com comboios formados por, no máximo, 220 vagões. O objetivo do super trem é elevar a capacidade de movimentação de minério de ferro na EFC para 130 milhões de toneladas (Mt) até 2009, e para 230 Mt a partir de 2012.

O trem de 330 vagões tem potência distribuída e é formado por duas locomotivas com 110 vagões, mais duas locomotivas com 220 vagões. Os testes com os trens maiores na Vale começaram em outubro de 2006. De lá para cá, todos os maquinistas e empregados envolvidos na operação dos comboios passaram por treinamento.

Para garantir a movimentação dos novos trens, a Vale também adquiriu 23 locomotivas, modelo Dash9, provenientes de um investimento de aproximadamente US$ 46 milhões. As máquinas -- fabricadas na Filadélfia, pela General Electric (GE), dos Estados Unidos -- chegaram à empresa pelo Porto do Itaqui, semana passada, sendo que o processo de desembarque prosseguiu até domingo último.

As locomotivas têm equipamentos que permitem monitorar todo o funcionamento do maquinário. O modelo funciona a diesel, mas dispõe de injeção eletrônica. Externamente, a Dash9 continua com o mesmo modelo, mas, segundo a Vale, são os exemplares mais modernos de máquina de linha ferroviária existentes no mundo.

As novas máquinas se juntam a uma frota já existente de 182 locomotivas, sendo 55 do tipo Dash9, que operam na EFC no transporte de minérios.

Locotrol

O sistema que gerenciará o maior trem do mundo, operado pela Vale, é chamado de Locotrol ou Potência Distribuída. O sistema é uma tecnologia portátil de controle, com a qual o maquinista fica em uma locomotiva operando as demais por controle via rádio. É um sistema que controla a tração - ou seja a força - e a frenagem de trens, de forma sincronizada e independente. Controla até cinco locomotivas, que ficam distribuídas ao longo da mesma composição na forma de líder e remotas.

Na prática, o sistema possibilita o uso de mais vagões em um mesmo trem. Já é utilizado pela Vale, desde 2005, na Estrada de Ferro Vitória a Minas, que trabalha atualmente com trens de até 320 vagões. Entre as vantagens do sistema, estão a economia de combustível, diminuição da distância de frenagem e carregamento, além de alívio do freio pneumático, movido a ar.

Investimentos

Os investimentos para aumentar a quantidade de minério de ferro transportado pelo Sistema Norte de Logística da Vale - que compreende a Ferrovia Norte-Sul, a Estrada de Ferro Carajás e o Sistema de Ponta da Madeira - inclui o prolongamento em 1.500 metros de cada um dos 56 pátios de cruzamento e das oficinas de locomotivas para comportar o trem de 330 vagões.

Até 2012, serão compradas 147 locomotivas, 10,6 mil vagões e cinco viradores de vagões, construídos uma nova linha de embarque e um novo píer e adquiridos quatro carregadores de navios.

Fonte: O Estado do Maranhão

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística

ArcelorMittal anuncia novos investimentos na Índia

A ArcelorMittal, maior siderúrgica do mundo, pretende investir cerca de US$ 25 bilhões na Índia, segundo informou Malay Mukherjee, membro do conselho de administração da empresa.

Duas novas instalações já estão sendo implementadas no país, em Orissa e Jharkhand, com custo total de US$ 20 bilhões, e capacidade de produção 12 milhões de toneladas de aço cada.

A companhia também tem como objetivo desenvolver projetos mais próximos às necessidades de seus clientes, como por exemplo a implementação de centros de serviços no país. "Também trabalhamos com o projeto de uma joint venture em Chennai, para a produção de aço inoxidável para o setor automotivo", declarou Mukherjee.

Fonte: InvestNews

Postado por: Newscomex - Comércio Exterior e Logística