27 fevereiro, 2007

Mercado externo golpeia lucro da Perdigão

O aumento nos custos de produção de frangos devido à valorização do milho e da soja e a dificuldade de reajuste de preços ao consumidor final devem provocar uma redução na margem de ganhos da Perdigão neste primeiro trimestre.

Wang Wei Chang, vice-presidente de finanças da empresa, disse que o grupo espera para o ano um aumento de 20% a 25% nos custos com milho e de 5% a 10% com soja. No ano passado, o gasto com essas matérias-primas foi em torno de 14,5% menor do que no ano anterior. "A Perdigão, como outras empresas do setor, pode sofrer uma pressão na margem de lucro por conta desses custos. O câmbio também vai fazer diferença na exportação. Não teremos margens como em 2005", afirmou.

No ano de 2006, a Perdigão registrou um lucro líquido de R$ 117,3 milhões, resultado 67,5% inferior ao obtido em 2005. A receita bruta com vendas teve incremento de 4% no ano, totalizando R$ 6,106 bilhões. As vendas ao mercado interno aumentaram 20,1%, para R$ 3,644 bilhões, enquanto as exportações recuaram 13,3%, para R$ 2,461 bilhões.

Wang associou o resultado à queda nas exportações de produtos à base de carne de frango no primeiro semestre, por conta da redução de consumo na Europa com o avanço da gripe aviária. Parte da produção foi redirecionada ao mercado interno, o que pressionou os preços desses itens. "O embargo da Rússia para a carne suína também provocou redução nos preços", disse Wang. O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ficou em R$ 331,2 milhões, o que representou uma queda de 46,9% em relação ao obtido em 2005. A margem líquida (que indica a rentabilidade) ficou em 2,7% no ano passado, contra 7% no exercício anterior.

A Perdigão encerrou 2006 com uma dívida líquida de R$ 634 milhões, ante R$ 765 milhões em 2005. Conforme Wang, a dívida bruta estava em R$ 1,834 bilhão em 30 de dezembro, sendo R$ 547 milhões em dívidas de curto prazo e FR 1,287 bilhão, de longo prazo. As aplicações da empresa estão em R$ 1,201 bilhão. Parte dos R$ 800 milhões captados no fim do ano passado foram aplicados, o que garantiu a redução da receita líquida.

Para este ano, a empresa confirmou os planos de investir R$ 460 milhões na melhoria dos projetos já existentes. A Perdigão também planeja construir novas unidades no segmento de lácteos (sendo que um projeto será realizado no Nordeste) e unidades para bovinos, com capacidade para abate de 1 mil cabeças por dia. Wang não quis detalhar os novos investimentos, mas disse que a empresa desistiu de fazer aquisições. "Após a captação os preços [das ofertas de venda] aumentaram muito. Preferimos investir no crescimento orgânico". Em 2006, os aportes totalizaram R$ 636,9 milhões. Questionada, a empresa não quis se pronunciar sobre a compra de ações da Perdigão pelo ex-diretor financeiro da Sadia, Luiz Gonzaga Murat, e a investigação sobre o fornecimento de informações privilegiadas para aquisição da Perdigão pela Sadia.

Fonte: Valor Econômico

Postado por: www.newscomex.com.br

Nenhum comentário: