27 fevereiro, 2007

Exportações crescem 288% pela via fluvial

As exportações do Amazonas pelo transporte fluvial apresentaram um crescimento de 288% no primeiro mês do ano, ao atingir o montante de US$ 172. 10 milhões, ante a cifra de US$ 44.34 milhões em vendas externas realizadas no mesmo período do ano passado. Esse expressivo resultado sustenta as perspectivas positivas de crescimento para os próximos meses na comercialização local com outros países, conforme a projeção das entidades empresariais do Estado.

A Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas) projeta US$ 2 bilhões para o comércio exterior do Amazonas neste ano, o que representa um crescimento de 35,13% ao total de US$ 1.48 bilhão em vendas externas realizadas no ano passado.

Em 2006, os resultados foram negativos devido à transferência de parte da linha de produção da Nokia, maior empresa exportadora local, ao México no final de 2005, o que ocasionou uma base de comparação de desvantagem entre um ano e outro.

O presidente da Aficam (Associação das Indústrias e Empresas de Serviços do Pólo Industrial do Amazonas), Antônio Carlos de Lima, sem mencionar números, tem perspectivas positivas para o comércio exterior nos próximos meses. “Estamos otimistas que as exportações deste ano devem superar os resultados do comércio exterior obtidos em 2006”, disse o dirigente.

Para o diretor-executivo da Fieam, Flávio Dutra, a perda da produção de celular local no ano passado, serve como um meio de provar ao governo, que esse setor precisa de incentivos para recuperar o potencial de competitividade. “Estamos reivindicando algum benefício a esse pólo do governador Eduardo Braga, que está desenvolvendo estudos técnicos para avaliar uma alternativa a favor dessa área”, explicou.

Pelo modal aéreo, as exportações apresentaram um crescimento de 4% no mês passado, em relação ao mesmo período de 2006, segundo informações da Infraero (Empresa de Infra-Estrutura Aeroportuária). Por via aérea, os produtos de maior destaque foram celulares e peixes ornamentais.
Pelo modal marítimo, os produtos mais solicitados no exterior foram as motocicletas, preparações alimentícias, televisores, máquinas automáticas para processamento de dados, soja e seus derivados. Importações declinam

Ao contrário dos meses anteriores, em que as importações apresentaram crescimento acima de 10%, no primeiro mês deste ano a Alfândega do Porto de Manaus registrou um declínio de 3,47% nos produtos adquiridos de outros países pelas empresas locais. Em janeiro foram comercializados US$ 353.44 milhões FOB (Free on Board) em importações, ante a cifra de US$ 366.16 milhões FOB em produtos importados adquiridos no mesmo período de 2006.

Baixo desempenho é justificado

A inspetora da Alfândega do Porto de Manaus, Maria Elizia Alves, relaciona o baixo número das importações, maior parte constituída por insumos industriais, ao desempenho produtivo do Amazonas neste início de ano. “Não tenho um dado concreto sobre o real motivo, mas atribuo esse resultado à situação das empresas do Pólo Industrial de Manaus, que podem não ter apresentado um resultado melhor se comparado a 2006”, explicou, destacando que, geralmente, as importações aumentam quando as indústrias locais estão em alta produtividade.

O presidente da Aficam, Antônio Carlos de Lima, disse que os primeiros dois meses do ano são períodos de baixo desempenho nas fábricas locais. Segundo ele, a produtividade industrial, a partir de março, deve compensar os resultados desse primeiro bimestre. “Ainda não fizemos uma análise dos resultados produtivos de janeiro, mas é normal que nesse mês a produção seja baixa, acreditamos numa recuperação nos próximos meses”, concluiu o executivo.

Fonte: Jornal do Commercio

Postado por: www.newscomex.com.br

Nenhum comentário: